Das ilusões a sua voltaQual vazio você decora e acolhe como verdade?Quando o mergulho deixou-se dominar pela superficialidade? O tango daquela gente que me devora a carne num prato de louça barata, esquerdopatas de araque, conservadores de lixo, é tanta cagação de regra que eu me cubro de vozes frouxas,…

Read More

Não importa quanto tempo passe, eu ainda sinto o sabor ácido das cinzas. Ainda tremo ao sentir cheiro de plástico queimado. Ainda me sinto bixo, perseguido, sem assunto, como se eu não tivesse serventia pro mundo. Não importa se já fazem mais de dez anos, quase todas as noites eu…

Read More

Na infância, eu não fui um cara fodido, fruto da miséria ou coisa do tipo, fui um moleque de sorte, no meio de tanta merda rolando pelo mundo. Apesar de crescer sem fartura nas quebradas, de Jaraguá a Osasco, não me faltou teto, comida ou educação. Pública. Eu não tinha…

Read More

A primeira página do jornal na parede do quarto. Um convite à violência. No chão: urina, fezes, falanges. E muito sangue. Os olhos da vingança sobre a covardia agonizante na morsa. É a foto de Jocasta na matéria. Paz? Não. Ele iria pra casa dormir. Acordaria no outro dia disposto….

Read More

a bala crava na carne da favela a TV faz seu show em busca de audiência a classe média aplaude mais um banho de sangue   “pobre”   a favela chora, primeiro de tristeza porque dói muito depois por ódio porque dói muito   Os milicos fecham o cerco, porque…

Read More

Quantos níveis de prisões cabem aqui? desconheço a profundidade do problema e sequer vislumbro a ideia de liberdade medo vergonha cobrança hipocrisia dor ansiedade inércia Preguiça. é cada muro mais alto que o outro o círculo social distrae por alguns segundos como a paisagem do lado de fora da janela…

Read More

Não é fácil chegar aos setenta e dois anos arrependido de não ter vivido os próprios sonhos. Tudo bem, Jair fez tudo direitinho. Foi um homem bom. Cuidou dos pais até eles partirem. Cuida até hoje da tia Inês. Por sinal, com seus noventa e oito anos, parece estar em…

Read More

Ele perambula pelas ruas porque gosta de ver as pessoas. Algumas, andam apressadas e vão desviando dos obstáculos, isso quando não atropelam quem estiver pela frente. Outras, vão devagar, demorando seus olhares nas belezas diárias que o mundo oferece. Só não conseguem é perceber que ele está ali. Triste, senta na calçada. Apóia as…

Read More