Na prisão do medo, com a máscara da comédia pendurada sobre uma gama de ilusões, vomito mentiras nalguma mídia social. Rede ardilosa. Pesco lixo num mar de lama onde nado à braçadas exaustas para morrer numa praia que não chega. Sequer vislumbro a existência.

Read More

Só partes na bagunça do inteiro. No riso plástico, no olho seco mirando o vazio. Que dia é esse? Lento. Esfola vidas alheias quando se alimenta de inércia e lava rancores ao vento, como um deus que sopra álcool nos feridos.

Read More

De vez em quando, tiro os olhos da revista e espio ela, deitada na maca, enquanto o tatuador escreve um poema do Neruda em seu quadril. Viajo na máquina e nas agulhas. Machucam sem piedade aquela pele macia. E mesmo depois do passeio do algodão, o sangue teima em brotar,…

Read More

O guardião da luz nos colocou em seu reino para garantir a ordem. A escuridão é nossa pista, onde nos movemos suaves e persuasivos entre almas embriagas por desejos materiais. Disfarçados de coragem e com uma voz sedutora, levamos ao abismo. Há milhares de anos, acompanho estas criaturas. Iludidas. Sem…

Read More

Há dois meses não faço nada além de ficar em casa com meus remédios. Para piorar tem o Francisco. Está louco. Vai de canto a outro, para, olha pra porta do apartamento e se arrepia. Desde hoje cedo. No início, esporádico, mas hora após hora, mais constante. Agora, o gato…

Read More

Não me interessa transformar você num soneto para deslizar suave lembranças antigas em sentidos alheios. Não adianta mais. Agora não tenho seus abraços presentes tempos atrás em minha realidade. tua voz, cheiro, gênio     tudo. Na linha do tempo somente impulsos elétricos em um punhado de carne. Um dia…

Read More

É tarde da noite. A luz da vela mal ilumina a mesa no único comodo da casa. Lá fora chove forte e o vento balança com violência as tabuas usadas como paredes para o pequeno cubículo. Uma goteira encharca a cama de palha, mas ele não se importa, não tem intenção de…

Read More

Hoje, minha avó está na casa dos setenta anos. Desses tantos, conheço os últimos trinta e dois. E nesse tempo todo, apesar de não saber nada sobre a arte da quiromancia, aprendi muito sobre a velha, e boa parte de sua história consigo ler em suas mãos. De tanto enfrentar o fogão, suas mãos…

Read More

Quando eu dou a pipada, rola um apito nos ouvidos e minha visão fica turva. Prendo a fumaça nos pulmões e minha boca começa a formigar. Sinto o gosto forte da rocha misturado com o de cinzas de cigarro. Sempre uso cinzas sobre os furos da lata para a rocha não derreter e cair lá…

Read More

Josélia acorda com o escândalo do despertador. Deitada, estica o braço e tateia no breu até encontrar o dispositivo sobre o criado mudo. Aperta o único botão que existe na parte superior e ele se cala. Nos dias comuns, costuma xingar o aparelho, como se ele representasse o próprio cão,…

Read More